Marycast: MM sex21ago com MARIANA MÜLLER

[separator]

A influência de GOT sobre os nomes de bebês

Desde que George R.R. Martin começou a publicar a série de livros As Crônicas de Gelo e Fogo, começando por Game of Thrones, críticos e leitores vêm comentando os nomes imaginativos usados em todos os livros. Mas foi apenas depois que a HBO lançou o seriado Game of Thrones que os nomes da série passaram a influir sobre os nomes escolhidos para bebês nascidos nos EUA.

Confere aí abaixo os nomes mais surpreendentes que apareceram na lista de nomes de bebês dos EUA , traçada pela Seguridade Social, graças a Game of Thrones

Arya

O nome Arya cresceu vertiginosamente desde que o seriado chegou à televisão. Em 2010 (o ano antes do lançamento do seriado, em 2011), Arya estava na 942ª posição da lista de nomes mais escolhidos nos EUA. Cada ano desde então o nome subiu 200 a 300 posições; em 2013, era o 277º da lista. É praticamente certo que Arya tenha subido mais desde então, mas a Administração da Seguridade Social tem dois a três anos de atraso em seus cálculos. Sabemos que entre os usuários do site BabyNames.com, cujas listas preveem a popularidade de nomes com dois a três anos de antecedência, Arya (somado a Aria) é o terceiro nome mais popular. Portanto, prevemos que, na próxima divulgação de estatísticas sobre nomes, Arya terá subido da 277ª posição para entre as cem primeiras. Vale notar que no ano 2000 havia 34 bebês chamados Arya. Esse número continuou igual até 2010, quando saltou para 273. Em 2013, os 273 tinham se multiplicado por quase cinco: 1.135 bebês americanos receberam o nome Arya.

Khaleesi

Khaleesi é um título nos livros e no seriado, mas também exerceu impacto sobre os nomes dados a bebês do sexo feminino. Embora não faça parte dos mil nomes mais populares, 241 bebês receberam o nome Khaleesi em 2013 (contra dez em 2010). O nome real da personagem Khaleesi é Daenerys, mas apenas 67 garotinhas foram batizadas como Daenerys em 2013. Diferentemente de Arya, Khaleesi e Daenerys eram nomes desconhecidos nos EUA antes do lançamento dos livros e do seriado Game of Thrones. Assim, George R. R. Martin pode ser considerado o criador desses nomes, do mesmo modo como Shakespeare criou nomes de personagens que mudaram os nomes dados a bebês nos séculos 16 e 17.

Tyrion

É interessante observar que o caráter de um personagem parece influir sobre a escolha do nome a ser dado a bebês. A popularidade do nome Tyrion, que pode ser considerado o herói número um de Game of Thrones, cresceu quase 400%, embora os números sejam modestos (11 bebês americanos em 2010 e 43 em 2013). Já os nomes dos personagens perversos dos livros (como Cersei, Tywin e Joffrey) não são encontrados nas estatísticas sobre nomes de bebês dos Estados Unidos.

Jaime

O caso de Jaime é interessante, já que o nome grafado de modo alternativo, Jamie, tem sido popular de modo intermitente nos últimos 50 anos. Mas o nome grafado como em Game of Thrones vem tendo crescimento considerável. Jaime é um personagem de quem você não quer gostar, mas, de alguma maneira, sua transição de assassino incestuoso para homem dotado de consciência (pense em como ele retornou para salvar Brienne do urso) coincidiu com o aumento de popularidade de seu nome. Em 2010, 85 bebês nascidos nos EUA receberam o nome Jaime, mas em 2013 esse número já tinha subido para 682.

Vários outros nomes de personagens de Game of Thrones não alcançaram número significativo nos EUA, mas o pessoal da BabyNames.com traçou algumas previsões.

Devem ganhar popularidade: Snow (nome dado a 59 bebês em 2013), Stark (usado 21 vezes em 2013), Sansa (11 vezes em 2013) e Theon (15 vezes em 2013).

Nomes em baixa: Catelyn (em 2013 já tinha caído pela metade em relação a 2010 - um caso de "longe dos olhos, longe do coração"), Tyrell (caiu de 276 usos em 2010 para 213 em 2013) e Shae. Em 2013, 130 bebês americanos foram registrados com o nome Shae, mas, depois de Shae trair Tyrion no seriado, a previsão é que seu nome perca força.

[separator]

Bob Dylan é eleito o maior compositor de todos os tempos pela revista 'Rolling Stone'

Uma das maiores publicações culturais do mundo, a revista "Rolling Stone" divulgou, nesta quinta-feira, sua seleção dos 100 maiores compositores de todos os tempos. Autor de clássicos como "Like a rolling stone", "The times they are a-changin'" e "Hurricane", o americano Bob Dylan ficou com a primeira posição. Paul McCartney e John Lennon, os dois compositores principais dos Beatles, aparecem na sequência, com o segundo e terceiro lugar, respectivamente. Chuck Berry, Somkey Robinson, Mick Jagger & Keith Richards, Carole King & Gerry Goffin, Paul Simon, Joni Mitchell e Stevie Wonder completam a lista dos dez mais.

Além de alguns compositores menos conhecidos do grande público, a lista conta ainda com nomes mais pop, como Taylor Swift (na 97ª posição), Billie Joe Armstrong (93ª), Eminem (91ª), Kanye West (84ª), Radiohead (73ª), Jay Z (68ª), Madonna (56ª), Kurt Cobain (54ª), David Bowie (39ª), Michael Jackson (34ª), Prince (18ª) e Bob Marley (11ª).

"A visão de Bob Dylan sobre a música popular americana foi transformadora. Nenhum outro artista conseguiu igualar ou superar seu impacto", justificou a revista no texto de apresentação. "Dylan não viu diferença entre os tempos modernos e o passado histórico, o que lhe permitiu transmitir suas baladas folk através de gerações".

Veja os 25 melhores (a lista completa se encontra no site da "Rolling Stone"):

  1. Randy Newman
  2. Elvis Costello
  3. Robert Johnson
  4. Van Morrison
  5. Lou Reed
  6. Jerry Leiber & Mike Stoller
  7. Ellie Greenwich & Jeff Barry
  8. Prince
  9. Neil Young
  10. Leonard Cohen
  11. Eddie Holland, Lamont Dozier & Brian Holland
  12. Bruce Springsteen
  13. Hank Williams
  14. Brian Wilson
  15. Bob Marley
  16. Stevie Wonder
  17. Joni Mitchell
  18. Paul Simon
  19. Carole King & Gerry Goffin
  20. Mick Jagger & Keith Richards
  21. Smokey Robinson
  22. Chuck Berry
  23. John Lennon
  24. Paul McCartney
  25. Bob Dylan

[separator]

Moon Girl, nova heroína da Marvel, é negra, pré-adolescente e nerd

A Marvel continua a investir na diversidade nos quadrinhos. A mais nova personagem da editora é prova disso: ela é pré-adolescente, negra e nerd. Lunella Lafayette, a "Moon Girl" – algo como "garota lunar", em português –, junto com seu amigo Dinossauro Demônio, protagoniza o gibi Moon Girl and Devil Dinosaur, que chega às lojas dos Estados Unidos ainda neste ano.

Moon Girl será uma garota ambiciosa, que planeja estudar em grandes instituições e tem DNA alienígena. Isso a fará se sentir deslocada, mas se depender dela, isso não atrapalhará sua vida – e o Dinossauro a ajudará nisso. A amizade de ambos será a essência das histórias.

O tiranossauro vermelho não é novo para os leitores mais aficionados da Marvel. Ele estreou em 1978, em Devil Dinosaur. E, agora, Dinossauro foi resgatado especialmente para Moon Girl.

[separator]

Matt Damon procura Nasa para fazer 'Perdido em Marte'. Longa baseado em livro de Andy Weir tem direção de Ridley Scott.

A Fox Film do Brasil divulgou, nesta quarta-feira (19), o segundo trailer do filme "Perdido em Marte", estrelado por Matt Damon . O novo trecho enfatiza a determinação o personagem do ator, um astronauta preso no planeta vizinho, para sobreviver por lá. Revela também sua ironia cortante, enquanto a agência espacial dos Estados Unidos (Nasa) precisa decidir se tenta resgatá-lo.

Quando Damon aceitou o papel, ele e o diretor Ridley Scott tiveram a chance de procurar a Nasa para tornar as circunstâncias extremas do filme tão cientificamente exatas quanto possível.

“Estamos de certa forma à beira de sermos capazes de fazer tudo que aparece no filme”, disse Damon à Reuters a respeito da exploração espacial.

“Com o devido financiamento e a devida atenção, esse é o tipo de coisas que estaremos explorando em um futuro muito próximo, e isso será parte da vida de nossos filhos”.

“Perdido em Marte”, baseado no romance homônimo de Andy Weir lançado em 2011, acompanha o astronauta Mark Watney (Damon), que fica sozinho em Marte depois que sua equipe, liderada pela capitã Lewis (Jessica Chastain), supõe que ele morreu em consequência de uma forte tempestade marciana.

Sem meios de comunicação e sabendo que a próxima missão tripulada a Marte irá demorar quatro anos, Watney tenta sobreviver no terreno desértico do planeta usando suas habilidades de botanista para cultivar alimentos no solo marciano.

“[Weir] realmente fez esse cara com um grande senso de humor, muito esperto e habilidoso, mas uma pessoa que tem o tipo de senso de humor de patíbulo que pessoas nessa linha de trabalho costumam ter”, opinou Damon.

Para marcar o lançamento do trailer, a Fox realizou um evento na terça-feira com Damon na Nasa e no seu Laboratório de Propulsão de Jato em Pasadena, na Califórnia, que se especializa em ciência planetária e lançou a sonda Mars Curiosity em 2011.

[separator]

Público de salas de cinema no Brasil cresce 12% no primeiro semestre. Arrecadação das bilheterias aumentou 19,3% na comparação com 2014.

Já o público de filmes brasileiros diminuiu 35,7% em 2015.

Se a crise tem feito o brasileiro reduzir os seus gastos com lazer, os números das bilheterias sugerem que o cinema não foi abalado pelos cortes nas despesas das famílias. Balanço de acompanhamento de mercado da Agência Nacional do Cinema (Ancine) mostra que o público das salas segue em trajetória de alta, somando 90,4 milhões de espectadores no 1º semestre, o que representa um crescimento de 12% na comparação com os 6 primeiros meses de 2014.

Já a arrecadação das bilheterias aumentou 19,3% na comparação com o 1º semestre de 2014, alcançando R$ 1,22 bilhões com um total de 436 títulos exibidos.

Segundo o relatório que está sendo divulgado nesta quinta-feira (20) pela Ancine, o país ganhou 25 novos complexos cinematográficos este ano, totalizando 123 novas salas. Somados as salas que foram reabertas, o mercado ganhou 147 novas telas no 1º semestre, totalizando 2.957 salas de exibição.

A Ancine atribui o crescimento da bilheteria em 2015 ao aumento da renda dos grandes lançamentos estrangeiros, os quais apresentaram aumento de público de 19,9% em relação ao primeiro semestre de 2014.

Dois blockbusters foram responsáveis, sozinhos, por quase 20 milhões de espectadores ou 24% da bilheteria de títulos estrangeiros no país: "Vingadores: A Era de Ultron" e "Velozes e Furiosos 7".

"Para efeito de comparação, no primeiro semestre de 2014, o título estrangeiro com maior público, 'Rio 2', teve 5,2 milhões de ingressos vendidos", informa o relatório.

Bilheteria de filmes brasileitos tem queda de 35%

Apesar do público maior nas salas, o cinema brasileiro sofreu uma fuga de espectadores. Segundo os dados da Ancine, os filmes nacionais atraíram 7,4 milhões de pessoas no 1º semestre, o que corresponde a uma queda de 35,7% em relação ao mesmo período do ano passado. Em termos de arrecadação, a queda foi de 32,3%.

A participação de público das obras brasileiras sobre o total da bilheteria também caiu: de 14,2% no primeiro semestre de 2014 para 8,1% em 2015 - menor patamar desde 2012 (5,5%).

Sergio Roizenblit, vice-presidente da Associação Paulista de Cineastas (Apaci), aponta um descumprimento no acordo da Ancine com empresas do setor para limitar o número de blockbusters nas salas.  "Com 'Os Vingadores' este acordo foi rompido e desde então é ignorado e não se fala mais nisso", ele diz. Sergio analisa que o crescimento do espaço dos grandes filmes comerciais ajuda a encher as salas e aumentar o público geral, mas tira espaço do cinema brasileiro autoral. "Filmes que teriam 50 mil espectadores agora não passam de 5 mil. Está havendo um achatamento da 'classe média' dos filmes. Ou é um público enorme ou quase ninguém vê", afirma.

Segundo o balanço, apenas 6 títulos brasileiros alcançaram mais de 100 mil espectadores, sendo responsáveis por 92,1% do público do cinema nacional no 1º semestre. Ao todo foram 50 lançamentos, ante 57 no mesmo período do ano passado.

O título com maior bilheteria foi "Loucas pra casar", com 3,7 milhões de espectadores, respondendo por 50,6% do público de filmes brasileiros. A obra teve a 6ª maior bilheteria do ano e é também o único filme nacional no top 20 do 1º semestre.

Pesquisa do SPC  Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito) e pela CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas) sobre o impacto da crise econômica no bolso dos brasileiros mostra que o cinema está no topo das prioridades de corte de gastos no 2º semestre entre aqueles que fazem planos de economizar, ficando atrás apenas das refeições fora de casa.

Veja os 20 maiores públicos no Brasil do primeiro semestre de 2015:

1 - "Vingadores: Era de Ultron"

Público: 10.120.507

Bilheteria: R$ 146.120.537,00

2 - "Velozes e Furiosos 7"

Público: 9.852.206

Bilheteria: R$ 142.560.300,78

3 - "Cinquenta Tons de Cinza"

Público: 6.685.086

Bilheteria: R$ 87.741.026,57

4 - "Jurassic World: O mundo dos dinossauros"

Público: 4.902.291

Bilheteria: 71.563.927,50

5 - "Cinderela"

Público: 4.191.409

Bilheteria: R$ 50.028.301,00

6 - "Loucas pra Casar"

Público: 3.722.683

Bilheteria: R$ 45.637.138,35

7 - "Bob Esponja: Um Herói Fora d'água"

Público: 3.718.284

Bilheteria: R$ 48.256.769,00

8- "Os Pinguins de Madagascar"

Público: 3.131.666

Bilheteria: R$ 40.466.190,00

 

9 - "A Série Divergente - Insurgente"

Público: 2.819.493

Bilheteria: R$ 39.035.710,53

 

10 - "Uma Noite no Museu 3: O Segredo da Tumba"

Público: 2.707.148

Bilheteria: R$ 30.903.954,00

11 - "Êxodo: Deuses e Reis"

Público: 2.612.034

Bilheteria: R$ 39.245.069,00

12 - "Minions"

Público: 2.522.664

Bilheteria: R$ 34.447.593,00

 

13 - "Mad Max: Estrada da Fúria"

Público: 2.205.581

Bilheteria: R$ 33.021.457,00

 

14 - "Terremoto - A Falha de San Andreas"

Público: 2.172.062

Bilheteria: R$ 32.005.712,00

 

15 - "Cada um na sua Casa"

Público: 1.786.309

Bilheteria: R$ 23.077.969,00

 

16 - "Divertida Mente"

Público: 1.714.785

Bilheteria: R$ 21.747.800,00

 

17 - "Operação Big Hero"

Público: 1.595.217

Bilheteria: R$ 20.052.449,00

 

18 - "Busca Implacável 3"

Público: 1.480.960

Bilheteria: R$ 19.132.457,60

 

19 - "Golpe Duplo"

Público: 1.288.401

Bilheteria: R$ 16.411.035,00

 

20 - "O Destino de Júpiter"

Público: 1.233.711

Bilheteria: R$ 17.081.394,00

[separator]

Christian Bale vai dar vida nos cinemas ao fundador da Ferrari

Christian Bale aceitou o convite e será o novo magnata italiano dos carros de corrida Enzo Ferrari no filme de Michael Mann. O ator volta a trabalhar ao lado do diretor, cuja última parceria foi em "Inimigos públicos" (2009), estrelado por Johnny Depp. O novo longa, com filmagens que começam no início de 2016, ainda não tem todo o elenco escalado.

Baseado no livro "Enzo Ferrari: The man, the cars, the races" (1991), de Brock Yates, o filme tem sido um projeto de Mann há 15 anos, inicalmente em parceria com o diretor Sydney Pollack, morto em 2008. Ambientado em 1957, a produção pretende mostrar a paixão, o fracasso e o sucesso do homem que fundou a fabricante de automóveis Ferrari em 1929.

Com uma carreira que já inclui filmes como "Batman: O cavaleiro das trevas" (2008), Bale ganhou o Oscar de melhor ator codjuvante em 2011 por um longa, que assim como agora, contava uma história real, a do boxeador Dicky Ecklund.

As informações são da revista "Deadline"

[separator]

Thiago Ramil para download

O primeiro disco de Thiago Ramil, contemplado pelo edital Natura Musical, está acessível para todo o Brasil.

O download de “Leve embora” poderá ser feito no portal Natura Musical  www.naturamusical.com.br a partir das 18h

Os shows de lançamento do primeiro disco de Thiago Ramil começam em Porto Alegre no dia 27 de agosto e seguem para o Rio de Janeiro (dia 01) e Curitiba (dia 03). O artista e a Natura,

Sobre a entrevista de hoje, confere

https://www.facebook.com/filmesobreumbomfim

[separator]

MARY MEZZARI Marycast MM sex21ago2015 MARIANA MÜLLER

MM com MARY MEZZARI sextas 14h na DFM!

Leave a reply

Web by: DELTA