MUNDO LIVRE S/A em Porto Alegre jul2016

Nesta pacata noite de segunda-feira (25) o Mundo Livre s/a fez um show histórico na capital gaúcha integrando o projeto Segunda Maluca, no Opinião. Banda conhecida pelos gaúchos, trouxe desta vez a divulgação do dvd MANGUE BIT AO VIVO para o estado, lançado este ano, com um show transcedental que encheu os olhos de quem estava lá.
A banda entrou no palco do opinião amparada pelas fortes palavras de Chico Science ecoando por todo o bar e tocou grande parte dos maiores sucessos de sua carreira, em um show impecável e muito à vontade. A casa veio abaixo quando Fred Zero Quatro tocou os primeiros acordes de 'Meu Esquema'. O público cantou junto com a banda do início ao fim, extasiado com a performance dos caras que visivelmente estavam muito satisfeitos com o espetáculo.
Depois de 'Melô das Musas', 'Loló Luiza' - música que foi feita especialmente para a turnê; nunca foi gravada em estúdio - e outros incontáveis sucessos distribuídos em uma hora e meia de show, a banda saiu do palco, para desespero de quem estava afim de mais som. Ainda havia mais; a banda volta ao palco com a mesma energia do começo, trazendo todo o embalo contagiante do mangue bit na primeira vez que a banda traz um naipe de sopros junto na turnê - e que naipe de sopros, diga-se.
Em mais meia hora de espetáculo, o grupo ainda deu mais um gostinho de sua música pra quem estava presente no Opinião nesta segunda inusitada. Com direito a uma citação de 'London Calling', do The Clash no meio de 'Manguebit'.
 "Bom, até aí, tudo normal", você vai dizer. "Um grande show do Mundo Livre s/a no opinião não é novidade", você vai dizer.
Pois bem.
A banda não só fez esse show fodástico no Opinião, como passou a terça-feira (26) em Porto Alegre, e este humilde escritor foi lá acompanhar esse day off na companhia ilustre de Fred Zero Quatro, frontman do Mundo Livre s/a.
FRED ZERO QUATRO - MATEUS VIEIRA jul2016
Passado 11hs da manhã, estaciono o carro e avisto um homem franzino, de Rayban escuros, chapéu e camiseta do Sport - a camiseta é indispensável, eu saberia mais tarde. É meu passageiro, Fred Zero Quatro. Sim; nada mais nada menos do que um dos maiores colaboradores da cultura mangue bit, do rock nacional, da música internacional, da cultura mundial. Muito sereno e conversador, Fred se apresenta - como se precisasse - e vamos juntamente com o produtor da banda para a primeira entrevista do dia.
Contente com o sucesso da banda no Rio Grande do Sul, Fred diz que "cada vez que vem a Porto Alegre se impressiona muito com a galera. Já estive aqui uma porção de vezes e sempre é muito legal. O show ontem estava  muito bom, muito bacana."
É muito fácil esquecer que o Fred que está li do seu lado é aquele mesmo que incentivou quase 30 anos de incontáveis bandas que beberam da água do mangue bit. Bastou pararmos em um apartamento no bom fim lotado de instrumentos musicais de diversas nacionalidades e tipos para que eu me lembre. Fred Zero Quatro se juntou a Tomás Piccinini em um improviso inacreditável de flautas - de várias nacionalidades; inlcuindo uma feita a mão pelo próprio Tomás - e violão, no que terminou em uma canja mais do que especial e caseira, colocando os pés deste que vos escreve bem colados no chão.

Depois de tocar um pouco e conversar com essa lenda viva sobre todos os assuntos possíveis e imagináveis, voltamos para as ruas chuvosas de Porto Alegre para o último compromisso do dia, uma entrevista fantástica para a DinamicoFM.
Infelizmente o dia estava chegando ao fim e essa experiência transcendental também. De volta ao hotel, Fred diz "ainda tenho que lavar roupas", sobe no quarto e volta para o carro com sua mochila. Deixei Fred em uma lavanderia na Lima e Silva e fui para casa ainda sem acreditar. O gênio ficou lavando roupas. Isso mesmo. Provavelmente sem ser reconhecido pela maioria de quem passou por ali, se escondendo em plena vista atrás da sua humildade e simpatia.
Foi assim que conheci esse gênio da música. Nessa naturalidade que toma conta do ambiente e deixa todo mundo muito a vontade. Um dos artistas mais cultuados pela imprensa internacional, ali... tocando o mesmo som... respirando o mesmo ar... deixando nós, meros mortais, roubar um pouco da genialidade que encantou e encanta a todos até hoje.
Salve Fred Zero Quatro. Salve Chico Science. Salve o mangue bit.

Leave a reply

Web by: DELTA