John Mayer impressiona em seu primeiro show na capital gaúcha

Pouco depois das 21hs, John Mayer subiu ao palco do Beira-Rio para o que seria uma apresentação impecável. Acompanhado para o primeiro ato de sua banda completa, John desfilou hits do seu mais novo trabalho, The Search for Everything (que dá nome a turnê do artista), além de trazer sucessos como Georgia WhyI Don’t Trust Myself Who Says já para a abertura do espetáculo.

Findo o primeiro ato, era chegada a hora de interagir. Com um repertório restrito de palavras em português, o artista pouco se comunicou com o público - quem já acompanha o artista ao vivo, mesmo que pelo YouTube, já tem uma boa idéia de como a interação acontece -, contando seus casos entre uma música e outra.

No segundo ato, denominado Acoustic, John trouxe o público mais pra perto, em um ato intimista que começou com seu maior sucesso, Your Body Is A Wonderland. A performance do artista com o violão impressiona pela intimidade com o instrumento, técnicas apuradas e timbres peculiares. Finalizando com In Your Atmosphere, o segundo ato animou e trouxe ainda mais expectativa para o que ainda estava por vir.

O terceiro ato certamente era o mais esperado pelos admiradores das habilidades “guitarrísticas” do artista. John Mayer, Pino Palladino e Steve Jordan voltaram ao palco para dar vida ao John Mayer Trio (JM3), formação que prioriza o jazz, blues e solos virtuosos e intermináveis. Com sucessos como Vultures e Every Day I Have the Blues, o trio animou o público e encheu os olhos dos fãs do John Mayer guitarrista  - afinal, o cara tem mil facetas.

Para seu quarto e último ato, John e toda sua banda voltam ao palco para tocar um bloco repleto de baladas pra encerrar com chave de ouro. Tocando as mais do que conhecidas Stop This Train, Slow Dancing In a Burning Room e outras baladas melosas e marcantes, a banda vai se encaminhando para o fim do show.

Sem necessidade de pedidos, o público recebeu um bis de primeira qualidade com direito a solos intermináveis - por parte de todos os artistas - e encerramento nada mais nada menos do que Gravity.

Em suma, o artista fez um show de cartilha, sem arriscar muito, porém de extrema qualidade. Resta a esperança de que John não demore tanto tempo pra voltar aos pampas, pois Porto Alegre gostou muito do espetáculo.

Cheers John!

Leave a reply

Web by: DELTA