CENA HÍBRIDA QUA23JAN COM JESSÉ OLIVEIRA

Tá aí uma conversa que aborda boas perspectivas para quem curte cultura e acompanha a produção local! Nesta quarta, dia 23 de janeiro, recebemos o diretor da Casa de Cultura Mario Quintana (CCMQ), Jessé Oliveira, que foi renomeado pelo atual governo para dar continuidade ao trabalho desenvolvido na instituição desde 2017. Diretor teatral, formado pelo Departamento de Arte Dramática da Ufrgs, com especialização em Teoria do Teatro Contemporâneo e mestrando em teatro na mesma Universidade, Jessé também trabalha como produtor, professor, pesquisador, iluminador e ator há quase 30 anos em Porto Alegre., tendo dirigido mais de 40 espetáculos de teatro, dança e música.

Antes de ser convidado para assumir esta responsa, entre outros projetos recentes de sua carreira, Jessé dirigiu o espetáculo O Cavalo de Santo, traduzido como Das Pferd des Heiligen, no Theater Krefeld Und Mönchengadbach, na Alemanha. O trabalho foi desenvolvido em Krefeld com elenco e equipe técnica composta por artistas da companhia estatal alemã que pertence às duas cidades. A experiência serviu como uma espécie de “estágio” para o papel de liderança que assumiria na sequência, uma vez que envolveu administrar uma equipe de mais de 30 profissionais de diversas partes do mundo durante dois bimestres. Na Casa de Cultura, tem encarado desafio semelhante (porém maior), de liderar funcionários concursados, CCs e terceirizados em diversos setores do centro cultural.

Com olhar apurado de artista, e também de espectador, ele realizou uma baita gestão em apenas dois anos de trabalho, reconhecida pela classe e pelo público, onde promoveu uma série de melhorias neste que é um dos espaços culturais mais queridos e importantes da cidade. Além de modernizar a infraestrutura (antes sucateada) dos teatros da Casa de Cultura, com a aquisição de novos equipamentos, Jessé implementou a rotina de chamada pública (edital) para ocupação (por temporada) de grupos de artes cênicas, ampliou o espaço para oficinas, ensaios e diversas apresentações. Também incentivou o uso do local via projetos próprios do centro cultural, como o Casa Expandida (evento inspirado em movimentos culturais que incentivam a ocupação de lugares públicos à noite, que ocorre sempre no primeiro sábado de cada mês) e o Cenas Diversas, com temáticas abordando a questão da diversidade, a exemplo das edições intituladas Cena Negra e Cena Acessível - essa última com apresentação de espetáculos de dança (de dois grupos de Santa Catarina), com artistas portadores de necessidades especiais.

Nas metas para 2019, nosso entrevistado pretende manter o que foi implementado durante sua primeira gestão, aumentar o fomento às diversas manifestações artísticas no centro cultural, e captar recursos (de R$ 5 milhões) para o restauro da infraestrutura interna do prédio, via Lei Rouanet. Mas, seguinte, todo esse papo é para vocês terem ideia da proporção do trabalho que está sendo desenvolvido, com benefícios não só para artistas mas, principalmente, para a população de Porto Alegre. A cereja do bolo, que é a visão pessoal de Jessé Oliveira, não só como artista, mas como gestor público, vocês só vão saber quando acessarem o podcast abaixo. A conversa é dinâmica e cheia de informações relevantes. Relaxa (ou não), dá o play na setinha e #escutanóis!

Por Adriana Lampert

Leave a reply

Web by: DELTA